sábado, 26 de março de 2011

Cuspindo em pratos limpos...


Uma caixa de lixo tóxico, mental e auto-destrutivo,
fora aberta, navegando nos mares mais turbulentos e perigosos
que sua mente guardava. Corria para se livrar de vazamentos nucleares
em uma terra esquecida pelos Deuses, vivia em si mesmo pois nada no mundo
la fora lhe fora oferecido. No terceiro dia de caminhada após o naufrágio,
entre destroços e corpos de crianças mortas, algo lhe ocorreu, inimigos haviam
sido derrotados, tudo ficaria bem. Mas se ele pensava que aquilo era o fim,
a única coisa certa era que ele estava errado.

O verão se fora trazendo o frio, ele teria que encontrar onde se abrigar,
antes que a noite caísse e com ela trouxesse a escuridão total da alma...

A escória está no pedestal
sentimentos puros foram mortos,
vida longa aos que um dia o exaltam
eles tem que viver o bastante,
para d'outrora te arrancarem os olhos.

Um comentário:

  1. nossa,seus textos mexem demais comigo,eles são muito muito bons.

    ResponderExcluir